EXILADOS DE CAPELA

Aqueles seres decaídos e degradados, a maneira de suas vidas passadas no mundo distante da Capela, com o transcurso dos anos reuniram-se em quatro grandes grupos que se fixaram depois nos povos mais antigos, obedecendo às afinidades sentimentais e linguísticas que os associavam na constelação do Cocheiro. Unidos, novamente, na esteira do Tempo, formaram desse modo o grupo dos árias, a civilização do Egito, o povo de Israel e as castas da Índia.

Dos árias descende a maioria dos povos brancos da família indo-européia nessa descendência, porém, é necessário incluir os latinos, os celtas e os gregos, além dos germanos e dos eslavos.

As quatro grandes massas de degredados formaram os pródromos de toda a organização das civilizações futuras, introduzindo os mais largos benefícios no seio da raça amarela e da raça negra, que já existiam.

Tendo ouvido a palavra do Divino Mestre antes de se estabelecerem no mundo, as raças adâmicas, nos seus grupos insulados, guardaram a reminiscência das promessas do Cristo, que, por sua vez, as fortaleceu no seio das massas, enviando-lhes periodicamente os seus missionários e mensageiros.

Eis porque as epopéias do Evangelho foram previstas e cantadas alguns milênios antes da vinda do Sublime Emissário.

Os enviados do Infinito falaram, na China milenária, da celeste figura do Salvador, muitos séculos antes do advento de Jesus. Os iniciados do Egito esperavam-no com as suas profecias. Na Pérsia, idealizaram a sua trajetória, antevendo-lhe os passos nos caminhos do porvir; na Índia védica, era conhecida quase toda a história evangélica, que o sol dos milênios futuros iluminaria na região escabrosa da Palestina, e o povo de Israel, durante muitos séculos, cantou-lhe as glórias divinas, na exaltação do amor e da resignação, da piedade e do martírio, através da palavra de seus profetas mais eminentes.

(trecho do cap. III do livro do mês)

LIVRO DE JUNHO – 2020

A Caminho da Luz

Emmanuel – psic. F.C.Xavier

 

Um dos temas estudado na JEAG no mês de maio foi “Os exilados de Capela”. Foi um estudo muito interessante onde conhecemos a trajetória de um grande grupo de Espíritos que foram exilados de sua habitação planetária para trabalharem, em expiação, como auxiliares na Terra em sua fase de formação ainda primitiva.

Emmanuel, neste livro traz-nos esta informação, pela via mediúnica fiel de Francisco C, Xavier no ano de 1939. Mas oferece-nos também uma visão resumida de toda a história de nosso planeta sob a ótica espiritual, desde os tempos remotos até os dias atuais.

Esta visão oferece-nos um entendimento claro do que estamos vivendo hoje nestes dias de transição planetária.

Transição

150 – É possível que os espiritistas venham a sofrer perturbações depois da morte?
– A morte não apresenta perturbações à consciência reta e ao coração amante da verdade e do amor dos que viveram na Terra tão somente para o cultivo da prática do bem, nas suas variadas formas e dentro das mais diversas crenças.
Que o espiritista cristão não considere o seu título de aprendiz de Jesus como um simples rótulo, ponderando a exortação evangélica – “muito se pedirá de quem muito recebeu”,  preparando-se nos conhecimentos e nas obras do bem, dentro das experiências do mundo para a sua vida futura, quando a noite do túmulo houver descerrado aos seus olhos espirituais a visão da verdade, em marcha para as realizações da vida imortal.

151 – O Espírito desencarnado pode sofrer com a cremação dos elementos cadavéricos?
– Na cremação, faz-se mister exercer a piedade com os cadáveres, procrastinando por mais horas o ato de destruição das vísceras materiais, pois, de certo modo, existem sempre muitos ecos de sensibilidade entre o Espírito desencarnado e o corpo onde se extinguiu o “tônus vital”, nas primeiras horas sequentes ao desenlace, em vista dos fluidos orgânicos que ainda solicitam a alma para as sensações da existência material.

(perguntas do livro do mês)

LIVRO DE MAIO – 2020

O Consolador

Emmanuel – psic. F.C.Xavier

 

Neste dias de pandemia, nada melhor do que aproveitar o tempo disponível para um estudo doutrinário rico de informações relevantes.

Emmanuel, neste livro responde perguntas a ele dirigidas por companheiros espíritas que acompanharam os trabalhos do valoroso médium do próprio livro, Francisco Cândido Xavier.

São perguntas de variados temas didaticamente divididas pelo autor espiritual nos três aspectos que a Doutrina Espírita se compõe, quais sejam: Ciência, Filosofia e Religião.

É uma experiência muito interessante, escolher um tema de interesse, descobrir as perguntas associadas e, principalmente, as respostas dada pelo Benfeitor Espiritual.

LIVRO DE ABRIL – 2020

Decidimos repetir o livro sugerido no mês de março, ESTUDANDO O EVANGELHO, pois nunca o mundo precisou tanto do Evangelho de Jesus como agora nesses momentos de pandemia.
Neste livro, o autor nos apresenta um estudo substancial sobre a necessidade da vivência dos ensinos evangélicos nos atuais momentos da vida humana, assinalados pelas importantes modificações por que passa a sociedade
planetária.
Conceitos e frases do Novo Testamento recebem comentários e interpretações à luz da Doutrina Espírita, adquirindo beleza e ação
multiplicada.
Em 58 capítulos, são desenvolvidos temas como: mocidade e trabalho; reencarnação